Noticias

Relação da Postura Cervical com a Mandíbula

As funções do sistema estomatognático têm como característica a participação da mandíbula e de todo complexo cabeça/pescoço.
A ATM (articulação temporomandibular), a coluna cervical e as articulações entre os dentes relacionam-se intimamente em suas funções. A ação neuromuscular das regiões mastigatória e cervical influencia ativamente os movimentos posturais funcionais da mandíbula e da coluna cervical, ou seja, todo o mecanismo postural que atua na cabeça é também parcialmente responsável pela postura mandibular. Uma mudança na posição da cabeça provocada pela contração dos músculos cervicais muda, conseqüentemente, a posição mandibular. Essas mudanças afetam também a oclusão e os músculos mastigatórios e estes, por sua vez, afetam a ATM.

Quando ocorre uma alteração postural, por exemplo, anteriorização da cabeça, simultaneamente o paciente apresentará tensão em ambas as cadeias musculares, em especial no músculo esternocleidomastoídeo e também nos grupos musculares supra e infra-hióideos, que terão seus comprimentos de equilíbrio e sinergismo alterados em conseqüência da alteração do osso hióide.

Assim, os músculos da mastigação também alteram seu comportamento funcional por causa das posições mandibular e oclusal, fazendo com que a ATM assuma uma postura viciosa. Toda alteração funcional provoca uma alteração em cadeia nos seguimentos subjacentes, ou seja, em todo complexo articular e muscular do corpo.

A busca por uma postura ideal depende de hábitos funcionais e posturais adequados, que são parte de um modelo ideal que deve ser buscado a todo instante, ou seja, trata-se de uma busca pela harmonia que leve a um estado funcional constante.   Referência: Biasotto-Gonzalez, D.A. Abordagem interdisciplinar das funções temporomandibulares. São Paulo: Manole, 2005 p. 33-39.

Notícia anteriorPróxima notícia